flor Notícias

PARANÁ CENTRO: MESTRE EM CIÊNCIAS PELA USP DIZ QUE CARTÓRIOS EXTRAJUDICIAIS TÊM ALTO NÍVEL DE SEGURANÇA

Após acompanhar o funcionamento de um tabelionato de notas, o engenheiro Marco Antonio de Arruda, graduado em engenharia robótica e especializado em desenvolvimento de software e computação na nuvem, verificou que os tabelionatos trabalham com tecnologia moderna e oferecem alto nível de segurança digital e procedimental.
 
Durante a análise, o engenheiro mecatrônico analisou vários sistemas do tabelionato e concluiu que os cartórios brasileiros estão tão avançados quanto empresas internacionais referências em segurança.
 
Alguns dos aspectos analisados: redundância de informação, o que garante recuperação rápida e fácil em caso de falha em alguma unidade de armazenamento, e backup em nuvem composta por servidores privados, o que garante que todas as informações sejam salvas em local seguro e criptografado, mantendo assim ilegível para possíveis "hackers". “Existem vários procedimentos de segurança interna que impossibilitam o acesso de hackers e, mesmo que haja a invasão, os arquivos são inalteráveis, pois existe o arquivo do documento impresso e ainda backups em "cloud server" e mídia física que ficam fora da sede do cartório”, destaca. Com o cruzamento de dados, que é feito pelos cartórios, toda a informação permanece consistente e segura.
 
O sistema operacional se baseia nas tecnologias usadas pelas grandes empresas, garantindo flexibilidade, em caso de atualizações e confiabilidade.
 
Ele assevera ainda que, com a tecnologia atual, os cartórios extrajudiciais se tornaram verdadeiros centros de segurança documental e que a possibilidade de fraude está cada vez menor.
 
O tabelião Raphael Cavalcante Rezek informa que o objetivo fundamental dos cartórios é garantir que seja dado efeito jurídico e força probatória para todos os atos que a sociedade brasileira pratica, pois assim milhares de atos se tornam seguros.
 
"Atualmente, os cartórios são os principais responsáveis pela desburocratização e desjudicialização do funcionamento estatal, pois antes atos que demoravam anos em determinado órgão, hoje são feitos em dias nos cartórios extrajudiciais", destaca.
Fonte: Paraná Centro
Voltar às notícias Compartilhe ou salve em seus favoritos:
Mais... Stumble It Compartilhe no Google Compartilhe no Delicious Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Imprimir Email This

 

  Home         Voltar